terça-feira, 30 de outubro de 2012

infortúnio

líria porto

figa pé de coelho
trevo-de-quatro-folhas
guiné arruda alecrim
comigo-ninguém-pode
ferradura atrás da porta
banho de sal grosso
espada-de-são-jorge
e nada de sorte

*

domingo, 28 de outubro de 2012

quá

líria porto

quá quá quá
de quem ri o pato
de mim?

eu rio do pato
que nada

*

machismo

líria porto

e quando ele lhe disse só te traí uma vez
ela falou simplesmente – eu também

o homem ficou maluco
queria saber com quem
se foi melhor ou pior
nunca mais teve sossego
e entrou em crise

*

sábado, 27 de outubro de 2012

temperamentais

líria porto

cansou-se de mim  fricote
eu que me exauri de tanto faniquito
desse quero não quero gosto não gosto
não estou disposta a sacrifício

(tomara não volte
se voltar ponho para dentro
como deixar ao relento
um ser tão sensível)

*

qual a senha para o sonho?

líria porto

nada me acontece
a realidade é triste
hora dessas durmo
e não acordo

*

matizes

líria porto

as tonalidades
tudo o mais parece
aquarela feita
pelas mãos do mestre

*

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

vidinha

líria porto

baldes e bacias aparavam as goteiras
titia arrancava os cabelos – enxugava
o chão da sala da cozinha do corredor
deixava o café pronto e corria
pra feira

(seu marido roncava
levantava-se para o almoço)

*

da sopa

líria porto

estalava-lhe os dedos
ela vinha igual cachorro
e ganhava um ponta-pé
:
pois dia desses vingou-se
partiu e levou o osso

*

mudança

líria porto

igual gota
sentir o peso do todo
e sem onde segurar-se
soltar o corpo
cair sobre a enxurrada
integrar-se a outras águas
ser feliz noutro lugar

*

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

librianos

líria porto

ah esse polvo de outubro
com tantos braços abraça-nos
a alma vai no regaço

ah essa gente tão rubra
o próprio desequilíbrio
quem a conhece afunda-se
e volta à tona

confuso?

(não ao câncer de mama)

*

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

líria porto

porém ainda
a dor intransferível
o sofrimento atávico
o juízo final

*

terça-feira, 23 de outubro de 2012

sinistro

líria porto

pela vida afora a morte
davam-lhe pêsames

parabéns
jamais

*

impúbere

líria porto

o nosso amor adolesce e tem espinhas na cara
e faz pirraça e é feinho – em poucos anos em breve
terá as chaves de casa

*

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

o carroceiro

líria porto

para que pressa – no trote a vida vai longe
eu não uso chicotes tu não dás pinotes
seguimos no ritmo de ontem

*

escapamento

líria porto

ufa
passou
mas se voltar
devolvo a dor
para o dono

*

seiva

líria porto

quem me inspira – outros poetas
eles me incitam fazem comigo o que a árvore
faz com a orquídea

*

domingo, 21 de outubro de 2012

de dar água na boca

líria porto

uma medida de arroz
três de suco de tomates
uma colher de manteiga
sal alho e cebola a gosto
levar tudo ao micro-ondas
sem nenhuma gota d'água
misturar uma vez ou outra
:
polvilhar queijo ralado
cebolinha salsa e comer
acompanhado

(quem me deu esta receita
faz amor muito bem)

*

com açúcar e com afeto

líria porto

nem joelhos sobre o milho
e nem mãos à palmatória
os castigos que humilham
não ensinam dão revolta

há todavia limites
não farão o que não podem
nesse jogo tem um líder
e regras harmoniosas

*

sem recato

líria porto

faltam-me versos
ataco de prosa
porém não descarto
o velho poeta
que sem mais nem menos
surge do nada
e chega dobrado
como um origami
:
um papel alado

*

sábado, 20 de outubro de 2012

lotação

líria porto

o sol sobe a lua desce
a lua sobe o sol desce
o céu é pequeno
para os astros

(um moreno me acena e some
vou achá-lo no inferno)

*

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

a ilha

líria porto

de pança pra cima
de papo pro ar
assim como está
deitada na areia
cercada de azul
e sem precisar
de mais nada

*

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

perna de pau

líria porto

em meu time sempre foi artilheiro
em seu time me deixava na reserva
agora me convoca?

(vou não)

*

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

escravo

líria porto

escrevo sobre eva
cravo uma uva onde é maçã – uma ova
diz-me o mestre e passa um abrasivo
na inovação

*

terça-feira, 16 de outubro de 2012

megalomania

líria porto

quando só restar a linha do horizonte
vou fazer um verso bem em cima dela
algo que se alongue ao redor da terra
:
de fechar o círculo
(ai quem me dera)

*

urtiga

líria porto

já faz tanto tempo
e é tão recente
pois que ainda arde
como água-viva

parece que o vão
que não se preenche
é perder-se algo
como a meninice

*

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

limbo

líria porto

saio do compasso não caibo na moldura
pairo no espaço – entre deus e o diabo
terríveis criaturas

*

flores de sibipiruna

líria porto

no alto das galhas bicos para o céu
a olharem as nuvens – só faltam
cantar

*

sobrevivente

líria porto

por amar a morte permaneço viva
todos a odeiam mas ela me respeita
e me olha à distância

*

carnívora

líria porto

dela não escapas
espécie de víbora
nasces morres
             renasces

*

abandono

líria porto

há uma espécie de coma
em tudo que é esquecido

a morte ronda
as gavetas

*

domingo, 14 de outubro de 2012

minas gerais

líria porto

ouro ferro diamantes
tudo isso ainda é pouco
para comprarmos o mar

*

inquietação

líria porto

o canto da porta a batuta do vento
agudos na ida graves na volta
como a voz dos meninos
na adolescência

*

alfinetadas

líria porto

pontadas na língua atiçam as palavras
afinam a saliva  impedem o silêncio
que tudo diz

*

feitio

líria porto

a poesia exige o corte o talhe a perícia
do exímio alfaiate

*

sábado, 13 de outubro de 2012

a chuva haicai

líria porto

maior temporal
um forte estalo ribomba
dentro do meu tímpano

*

geometria

líria porto

eu tu ele – triângulo equilátero
se entrar mais alguém nós viramos quadrado
e a vida muda cega surda

*

desastrado

líria porto

eu tenho dois pés esquerdos
e meto os pés pelas mãos
por onde passo perguntam
pé de vento redemunho
ou tornado?
(tudo ao mesmo tempo)

*

sem compromisso

líria porto

fosse para dar-lhe um osso
levá-la para um passeio
ria ficava alegre
mas não queria
a cadela

*

caminhoneiro

líria porto

fico aqui e fico lá
são muitos ninhos nenhum
que possa ser o meu lar

estou sempre por chegar
atrás de mim tem estrada
à minha frente também

não sou pai não sou marido
mas tenho mulher
e filhos
:
não me sigam
eu me perdi

*

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

águas

líria porto

a chuva chegou e com ela 
a alegria do verde

as sementes dentro em breve
terão vestes diferentes

*

embalagem

líria porto

corpos são caixas onde as almas se escondem
até alcançar a plenitude

*

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

pedregulho

líria porto

na outra banda da cama
naquela que não estás
eu vou deitar outro homem
e arrancar para sempre
qualquer lembrança de ti
qualquer detalhe capaz
de fazer-me infeliz

*

trincas

líria porto

escondo-me sumo de ti
pra saber se sentes falta

a cada vez que me vou
a chama fica mais fraca

não viverei para sempre
exposta à ponta da faca

*

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

raça ruim

líria porto

o capeta o diabo o satanás o puritano
nenhum é melhor ou pior que o outro

*

com_paixão

líria porto

a dor que nos antecede
a dor de existir de ser
faz-nos olhar nos olhos
compreender outros seres

pobres somos todos nós
viventes

*

terça-feira, 9 de outubro de 2012

na sequência

líria porto

caí da cama quebrei o pé
caiu na lama sujou a pétala
caímos e levantamos
:
música maestro

*

alívio

líria porto

passei anos na penumbra
a alimentar vampiros

a sorte é que os malditos
enjoaram do meu sangue
:
abri as janelas

*

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

bígamo

líria porto

o pato tem duas asas
dois pés e duas patas
:
de pato este pato
não tem nada

(nada de braçada)

*

tête-à-tête

líria porto

tão íntimos que à distância
um no céu e  outro na terra
ainda se entendem

*

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

divórcio

líria porto

eu não sinto falta dele em minha cama
eu não sinto falta dele em minha chama
eu não sinto falta dele em minha brama
eu não sinto falta dele
:
fui me buscar – sinto falta é de mim

*

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

pernoite

líria porto

eu estou de cá da serra
meu amor ficou de lá

se eu subo deste lado
ele faz esforço igual

na metade da estrada
haverá um bom lugar

para dois corpos cansados
certamente lá no céu

onde tenha passarinhos
e não haja a_deus

*

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

excitação

líria porto

em estado de coma-me
é que te bebo

*

zen

líria porto

a vida pode ser mais fácil
do que a gente inventa

rios correm paro mar
sem deixar o leito
sem afobação

*

terça-feira, 2 de outubro de 2012

exibição

líria porto

as vestes rosadas
qual moça na festa
a árvore se empresta
ao olhar

*

do cão

líria porto

terrível viver com ele – um tal que não miava
um ser que não me houve

*

sabre

líria porto

caminho sobre lâminas já não deixo rasto
o medo não me fere e só sangro
quando quero

não menstruo mais

*

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

fuga

líria porto

sumiu na véspera
do sábado
:
com salto alto
e batom


*

arroto

líria porto

não é tristeza
nem alegria
o que me mata
é a poesia
:
ela me entorta
me sacaneia
eu quase morta
chupa-me as tetas
e regurgita
cospe-me fora
depois sorri

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog