terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

perdido

líria porto

poeta sem verso
rio sem peixe
mãe sem filho
floresta sem árvore
jardim sem flor
casa sem gente
corpo sem alma
homem sem palavra

*

sábado, 25 de fevereiro de 2012

medida

líria porto

a vida parece-nos mais longa ou mais curta
conforme é vivida
:
o sofrimento a prolonga
e quem se sente feliz diz que a vida
é súbita

*

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

de dar dó e ré em mim

líria porto

todos têm um anjo – eu não
o meu foi preso por delinquência

*

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

mural

líria porto

fotos das filhas dos netos
do meu pai da minha mãe
dos que vieram de mim
daqueles de onde vim
pendurei-as uma a uma
pelas paredes da casa
:
rio a caminho do amar
do espraiar espessura

*

turbulência

líria porto

coração nas mãos
um susto antes da nuvem
outros depois
e tudo se acumula
tem a leveza do chumbo
das aluviões

*

domingo, 19 de fevereiro de 2012

ritmo

líria porto

deixar a previsão de lado e dançar bolero
no carnaval quero é romance

se não pudermos rimar nossos passos
dancemos tango salsa mambo
rock and roll

(o samba fica
para a quarta de cinzas)

*

para amaciar os dias

líria porto

generosas como as mães
árvores estendem tapetes de flores
à porta do presídio

*

bodas de c'ouro

líria porto

desde que te conheci
encorpei fiquei madura
tu também mudaste muito
já tens rugas pelos brancos
no entanto o nosso amor
continua este menino
que me faz correr pra ti
e beijar a tua boca
:
nem que seja assim
no sonho

*

sábado, 18 de fevereiro de 2012

lousa

líria porto

escrever nas paredes
deixar versos na sala
nos quartos na cozinha
no corredor no teto
:
no chão
jogar pétalas

*

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

doida

líria porto

uma lua na cabeça
uma vida meio vesga
um desejo acumulado
um beijo para ser dado
ao primeiro que apareça
doutor poeta soldado
mendigo ou cafajeste

quem se importa
quem aceita-a?

*


robot

líria porto

pela manhã voa à noite aterrissa
tudo no piloto automático

*

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

cemitério

líria porto

vasto canteiro de sementes
que não germinam

*

perplexidade

líria porto

tentamos aprender abrir-nos
arregalar os olhos

jamais saberemos dos detalhes
das minúcias

viver continua o mesmo mistério 

*

fardo

líria porto

tal qual pangaré a puxar a carroça
lá vai o velhinho co'a vida nas costas

*

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

vigília

líria porto

apago os olhos
e até a próxima luz
ora estrelas me vigiam
ora a lua
para que nenhuma nuvem
paire sobre minha cama

*

esquerda

líria porto

não pode
menina canhota eu não deixo
amarro a mão da teimosa
e ela obedece ou não
come

(não sou destra por natureza
tentaram domar-me no berço
a jaula dos bebês)

*

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

maritacas

líria porto

o bando faz furinho em cada coco
é tamanha a algazarra que eu rio
e até transbordo

*

concubina

líria  porto

gosto muito da mulher do meu amor
é que ela - a esposa - faz por ele
o que eu não faria nem
                                     por mim_o

*

oferecida

líria porto

é que a lua perfumou-se inteira
tirou o robe a camisola as peias
e apareceu

*

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

a lua me espreita

líria porto

olha-me com olho de dona  eu deixo
chama-me de marafona  eu deixo
afunda-me e me traz à tona  eu deixo

a lua faz de mim o que quer 
até certo ponto
:
ontem mandei-a pro inferno

*

corte

líria porto

beijou o seu rosto
depois suas costas
:
com sua foice
a morte ceifou-o
de nós

*

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

convicções

líria porto

pende para a esquerda
e quem a condena
é reacionário
ou tem a cabeça
cheia de titica
repete o que ouve
sem saber de nada
:
como um pau-mandado

*

domingo, 5 de fevereiro de 2012

trema

líria porto

sangue de regra é exceção

*

engenharia

líria porto

se eu pudesse construir tuas estradas
todas elas passariam em minha porta
haveria tantas flores nas beiradas
borboletas como meio de transporte

*

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

liquefação

líria porto

sorver-te era o que eu pretendia
mas tu permaneces frio enquanto
eu me derreto

*

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

carrapicho

líria porto

no coração tenho um ninho
no céu da boca um amor
nas pernas muitos caminhos
na cabeça algum piolho

*

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

equívocos

líria porto

as pessoas não são o que são
muito menos o que aparentam

*

métrica

líria porto

soneto é gaiola dourada
aprisiona águias

*

soneto para quem sabe quem

líria porto

♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥

♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥

♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥

♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥

*

perversidade

líria porto

pior do que quem odeia
quem diz que ama e maltrata
por atrair a pessoa e trair
o sentimento

*

dureza

líria porto

o amor eterno durou poucos meses
perdeu todo o brilho - ficou mudo e cego
mas gerou um filho chamado desprezo
que nasceu robusto como uma pedra

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog