terça-feira, 31 de janeiro de 2012

bússola

líria porto

a lua atrás da nuvem
eu fiquei sem rumo ela é o meu farol
some eu perco o prumo mergulho
na escuridão

*

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

a cama


líria porto

aqui eu me deito ali me levanto
o espanto no meio e a poesia
nos quatro cantos

*

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

sereno

líria porto

não corro mais – cansei-me de ir à frente
a alma atrás

lado a lado posso apreciar a poesia
dar bom dia aos pássaros

mergulhar na poça d'água

*

a viúva

líria porto

estende os braços para alcançar o morto
e sua ausência é tão presente quanto uma pedra
de gelo

*

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

comuns

líria porto

chegamos partimos
e o mundo continua tal qual

da bisavó
só sei o primeiro nome 
:
flávia

*




quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

temporão


líria porto

mal tocou as suas mãos
beijou-lhe o rosto
e passou mais de uma década
a sonhar dias e noites
com um reencontro
como alguém que adolesce
depois de velho

*

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

in natura

líria porto

a minha cara lavada
de deslavada coragem
não escondeu uma ruga

deixei tinta deixei rímel
lápis de sobrancelha
até esmalte não tinha
nem batom nenhum retoque
todos me viram tal qual
o espelho que me suporta

*

amar


líria porto

o amor se vai eu do seu lado
caminhamos um e outro inseparáveis
iremos desaguar no azul imenso
seremos – ele e eu – um barco e um remo
perdidos no alto-mar

*

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

a_ventura

líria porto

desvivo
estás por um fio
que tal combinarmos
mesma hora mesmo dia
marinheiro e sereia
num barco de papel
no mar do caribe
nunca mais retornar
à terra firme?

*

domingo, 22 de janeiro de 2012

jornadas do sol e da lua

líria porto

estrelas pequeninas sagram-lhe o leite
sem ninguém ao menos para acudi-la
:
sais pela manhã (re)voltas à noite
a vida dos reis não é como
a das rainhas

*

salada

líria porto

corto o poema em fatias
alguns versos em rodelas
outros em redondilhas

*

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

do inesperado

líria porto

quem consegue infiltrar-se noutra vida
permanece algum tempo clandestino
descoberta sua presença o destino
fá-lo dançar outra música
ouvir outra cantilena

*

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

aviões

líria porto

poeta é teco-teco
piloto é canarinho

*

trevo de quatro folhas

líria porto

dou de cara com a sorte
e não vou  entregá-la
a quem a despetala

*

domingo, 15 de janeiro de 2012

leoas

líria porto

formemos as fileiras lado a lado
se quiserem massacrar a nossa prole
temos unhas temos dentes
e coragem

*

sábado, 14 de janeiro de 2012

dança no céu

líria porto

a terra usa os anéis de saturno
dá dois passos para as bandas de mercúrio
faz marte pisar nos calos 
de vênus

eu colaboro – sou um meteoro

*

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

nós

líria porto

sou o mar
és o rochedo

eu me atiro
espatifo-me

tu me olhas
não me vês

eu me afasto
depois volto

(é mais forte
do que eu)

tu não vens
nem vais embora

por quê?

*

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

arrombamento

líria porto

roubou meu coração - devolva-o
vou me queixar à polícia pedir que prendam
o ladrão

a peça é antiga
mas vale ouro

*

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

herege

líria porto

um anjo de chifre e rabo
anda comigo e me protege
desses pensamentos castos

*

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

deslumbramento

líia porto

diante do mar – tão pequeno
um grão de areia fugido 
do deserto

*

domingo, 8 de janeiro de 2012

zegeraldo

líria porto

pálido tímido magrinho
lábios finos narigudo
meu vizinho que tocava violino
todo ele um desafino
vivia de bar
em bar

embora eu me encantasse
com sua alma de artista
dava-lhe todas as pistas
só podíamos ser amigos
não pensava em me casar

*

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

perigo

líria porto

pessoas sedutoras
as que nos levam no bico
depenam-nos e quebram
as nossas asas

*

caminho da roça

líria porto

estrada de terra
um toco fincado
o urubu seca as asas
e um pé de flor tão bonito
forma o tapete
onde piso

*

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

rotunda

líria porto

de tanta falta de ti
pintei a cara com tinta
tentava achar quem pudesse
ocupar teu lugar
:
que tonta

*

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

barragem

líria porto

segurei nosso amor quanto pude
tu partiste eu fiquei e a tristeza
fez romper as comportas
                                 do açude

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog