sábado, 28 de fevereiro de 2009

rapto

líria porto

a nega faísca levou o meu nego
nem pediu resgate

se a nega soubesse a bisca que é
sossegava o facho

*

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

esgotamento

líria porto

no boxe do banheiro
versos descem para o ralo
:
ao vapor do corpo

*

bashô em mim

líria porto

os sapos as rãs
saltos na beira do córrego
todas as manhãs

*

saraivada

líria porto

uivos latidos rosnados
reconheço todos
cachorros cachorrinhos
cachorrões
foi-se o tempo de acordar
co'os galos

*

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

oblíqua

líria porto

a cama fica imensa
atravesso-a de ponta a ponta
desassossegos ao meio
insônias no viés

*

revide

líria porto

passa a camisa do patrão
como se alisasse sua pele

a patroa desconfia
dá-lhe aviso prévio

(quem manda ela ser bonita?)

*

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

de ninar

líria porto

embalançam-me os teus braços
como o mar faz ao navio

deitado em lençol d'água
rio rio

rio

*

familiar

líria porto

quando eles vêm eu percebo
primeiro chega a barriga
redonda sétimo mês

(maria luiza dentro)

a seguir entra regina
com carlos eugênio
meu genro

(flor e indy - as enxeridas
abanam o rabo)

*

domingo, 22 de fevereiro de 2009

desespelho

líria porto

chamas-me
eu te acudo

quando te necessito
sinto-te acuado

e mudo

*

escanteio

líria porto

o meu mestre-sala
dançou com roseli

chegou da dispersão tão distraído
tão esquecido de mim
deu-me beijo na bochecha
e foi dormir

*

sábado, 21 de fevereiro de 2009

sombra

líria porto

anda onde ando faz o que faço
e ao meio-dia esconde-se debaixo
da sola do sapato

(entre quatro paredes
dormimos na mesma rede)

*

trinado

líria porto

ausência de vento
e um pequeno movimento
no canto do pássaro

*

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

quieta

líria porto

não abre os olhos
acorda
espera versos que lhe toquem a pele
entrem pelas veias poros
e saiam pela caneta

*

amantes

líria porto

haverá medos 
abismos 
delírios
uma corda no pescoço 
e o gozo meu querido
muito pouco 
porque rápido 
porque escondido
porque o paraíso 
é o inferno duradouro

*

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

silêncio

líria porto

despetalar as palavras
desfazer-lhes as letras
despi-las de sons e ruídos
deixá-las livres da língua
detê-las no pensamento

*

ressaca

líria porto

era o sorriso da lua
ancorado no horizonte
usava batom dourado
parece tinha beijado
a boca do sol

*

culpada

líria porto

minha nuvem predileta
troveja e chove canivete

raios me partam

*

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

eu's

líria porto

narciso mergulha n’umbigo
e insiste –  espelho espelho deus
existe alguém no mundo?

*

desígnios

líria porto

quando te fores de mim
e não demora - não choremos

terá chegado a aurora

*

amorosa

líria porto

a chuva afaga a terra
e um filete d'água emperra
no canto da (al)face

*

lápi(de)s de cor

líria porto

cremação
nem morta

abomino
cinzas

*

ingenuidade

líria porto

verdade sempre a verdade
dizia-lhe o pai – e as verdades são tantas
que algumas chamamos de engano

*

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

cão de guarda

líria porto

cresceu a casa ou pequeno fiquei eu
e o corredor não tira os olhos – o silêncio
faz barulho de fritura

(havia passarinhos
eu gostava desta casa
como um gato)

rosnam-me os ossos

*

domingo, 15 de fevereiro de 2009

ângela

líria porto

a moça de alma albina
quer ser puta não consegue
fica nua vai pra esquina
quando um homem se aproxima
lua não tem sexo

*

desendereço

líria porto

a burocracia mora
onde falta poesia e a burrice
é sólida

*

sábado, 14 de fevereiro de 2009

pausa

líria porto

hiato necessário
espécie de soluço
respiro d'alma

*

fases

líria porto

lua cheia
lava de vulcão
dentro da veia

lua nova
este coração
é uma ova

) crescentes minguantes (
: situações subjacentes
deveras preocupantes

*

gari

líria porto

cacos d'alma pedacinhos de papel
no fundo das gavetas

volta vem catar o cisco que sobrou
de mim

*

bicota

líria porto

clarinha menina dos olhos de conta
que rola com a bola
que pula com a mola
parece um anjo nem parece nenêm
seu jeito levado seu olhar decidido
nos diz com certeza
:
é madeira de lei

seu riso seu cheiro
não me esqueço de nada
clarinha menina dos olhos de céu
vou eu derretida levá-la nos braços
contar para os astros - clarinha é estrela
e me cobre de beijos

*

ba.luar-te

líria porto

a meia taça de junho
esplêndida puro cristal
estampava seu clarão
na_morada do sol

*

sabores

líria porto

jilozinho apimentado
com arroz branco e farinha
santa mãe é uma graça
entre ardidos e amargos
descobrir-se a doce vida

o simples é tão difícil

*

nome de mulher

líria porto

teresa terezina therezinha
a amante a irmã a cara-metade

*

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

moderação

líria porto

como quem fervia leite
para não se derramar
amava em fogo brando

*

la bella donna

líria porto

os olhos são noites
o cheiro manhãs
são tardes seu colo
seu sexo agoras
os seios auroras
e o tempo advoga
a seu favor

*

à putanesca


líria porto

a chuva encharca o verbo
faz o molho pasta o tempo
e as palavras

*

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

maria vai com outros

líria porto

jogaste-me longe
e não voltarei a teus braços
como um bumerangue

*

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

mago

líria porto

alguém que me queira tal como sou
que me pegue e me esfregue até que anteveja
o gênio da lâmpada

*

di_amante

líria porto

eu te quero sol de todo dia
vieste na lua cheia

a bola de neve do meu medo
(não sou a amada sou o pouso o oásis)
virás na primavera do ano bissexto?

(assusta-me à distância
o cometa halley)

*

doce de_leite

líria porto

bicicletazinha
se eu resolvesse
varar este mundo
sobre o teu selim
eu iria à casa
do moço moreno
que mora lá longe
e gosta de mim

mas se eu perdesse
o meu equilíbrio
ias tu sozinha
levar-lhe o meu beijo
então tu dirias
bicicleta minha
que viesse o moço
comer pão de queijo

*

brancas e amarelas

líria porto

a lua caiu do céu e os cacos
são as luzes da cidade
:
estilhaços

*

al dente

líria porto

saia curtinha blusinha verde
e o vegetariano não desgruda os olhos
da sua carne tenra

*

ilusão de ótica

líria porto

deus é americano
e mestiço

quem não sabe disso
pensa que é brasileiro

*

ele_mental

líria porto

esta política é tão pobre
que só favorece os ricos

*

azar

líria porto

todo gato tem um hiato entre o pulo
e o pássaro

*

pardieiro

líria porto

nos (in)cômodos
ausências fantasmas
trapos lembranças
aranhas


na aorta
mato gato sol
e andorinhas

*

pontual

líria porto

não se atrasa não se adianta
é como bomba-relógio que a morte
funciona

*

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

ilustríssima

líria porto

viva eu
viva tudo
viva o chico

sina assaz
sinistra

*

velas

líria porto
 

uma para deus uma para o diabo
outra para nós – que de ferro
só as montanhas de minas

*

insinuação

líria porto

palavras (mal/bem)ditas e abrimos a guarda
farpas são disfarce de alma (de)penada

*

asilo

líria porto

quando eu não der sombra nem frutos
cortem-me as galhas façam-me lenha graveto
deixem que eu amorne a água
aqueça a sopa
seja a chama da lareira
jamais que apodreça ao relento

*

fantasma

líria porto

os braços da meia-noite
cingiram-lhe forte a cintura
então veio a criatura
:
a presença ausente

*

muda

líria porto

esbarrei tão de mau jeito
na ponta do teu desprezo
quase entortei meu eixo
caminhei meio capenga
cambaleava mancava
e nunca mais me acertei

minhas pétalas murcharam-se
partiu-se-me o riso ao terço
o coração aos pedaços
minh'alma ficou em cacos
enfraquecida acabada
que de tristeza
calei-me

*

tristeza

líria porto

despi-me de mim e de tudo
só o manto do olhar ainda me veste
desta bruma eu não posso me livrar

*

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

carimbo

líria porto

a boca grande de dora
o batom vermelho

sua risada sonora
o cabelo crespo

fazem da dona feiosa
bela senhora

(sem selo)

*

no último idílio

líria porto

na falta de adeus - tiau
nunca fui embora sem me despedir

*

domingo, 8 de fevereiro de 2009

partilha

líria porto

partiu-se-me o coração em dois amores
na verdade cada amor é apenas meio
um atende minha alma o outro o corpo
se um dia um dos dois em mim perder-se
penetrar o coração só mais um pouco
pode ser que o outro se desfaça
e eu viva afinal um amor sem peia

*

aconselhamento

líria porto

mama dulce disse a lúcio
vai menino sê feliz
atravessa a serra
de lá - nas minas gerais
tem uma doida varrida
sem juízo sem riqueza
que sabe o caminho das pétalas
e é capaz de transformar
tristezas em ambrosia

vai menino
a vida encurta-se

*

sábado, 7 de fevereiro de 2009

su_plantar

líria porto

nuvem densa cobre o vale
o céu avisa - se o plantares
vou regar o teu roçado
e terás feijão e milho
pra sustentares teu filho
pra abasteceres a casa

*

o andarilho

líria porto

seu destino o horizonte
sua casa uma estrada
seu amigo um cachorro
seu tesouro a liberdade
seu passado ninguém sabe

*

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

no avesso do afeto

líria porto

li a alma de minha mãe
seu coração suas tripas
e por conhecê-la a fundo
achei-a feia bonita
tão humana
quanto a mãe de todos

(leitores nascem leitores
segundo saramago)

*

dedicatória

líria porto

para a flor das flores
as cores do arco-íris
e todas as fitas

*

delta

líria porto

entre os joelhos e a virilha
uma ilha de renda enconde a gruta
de mato dentro

*

almo_fada

líria porto

o peito de ellen
travesseiro de lavínia
:
recheio de penas
re_versos de nina rizzi

*

domingo, 1 de fevereiro de 2009

o mundo é uma bolha

líria porto

gêmeas univitelinas
mariana e anamaria - quase idênticas
diferem-se no temperamento

uma é dona de casa a outra é marafona
(e o cunhado a frequenta)

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog