terça-feira, 30 de outubro de 2007

ipê

líria porto

do alto da serra ele berra
amarelo amarelo amarelo
meus olhos não piscam
são milhares de pétalas
de ouro de entrega
de prece

*

quinta-feira, 25 de outubro de 2007

vocação

líria porto

meninas brincavam com bonecas
eu fazia a sopa de letrinhas

*

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

triângulo

líria porto

ideal é sermos três
o muso o amante e eu

um para sofrer sonhar e gerar versos
outro para me dar muitíssimo prazer

(a felicidade é ímpar )

*

febre

líria porto

deliriar
manuelar bandeiras barros
marear quintanas
drummondiar adélias hildas coralinas
leminskiar vinícius
catular bilacs augustos casimiros
clariciar marinas affonsos
e cecílias

só não consigo

*

haicai

líria porto

a lua deitada
detrás da nuvem de tule
da chuva de outubro

*

retratos

líria porto

pedro
este jeito teu
de parecer comigo
entra-me pelos poros

olho a tua foto
tenho nove anos
sou um bom menino
e sou tão bonito

voador o tempo
pousa nos meus ombros
fala em meu ouvido
isso não existe

fico quase triste
mas aguento o tranco

*

domingo, 21 de outubro de 2007

imprudência

líria porto

ao me conhecer trouxeste flores
aquele gesto teu nunca esqueci

impressionar mulher sensível
não temias?

(quem não quer laços
precisa ser rude)

*

que (i)mundo é esse?

líria porto

não põe no lixo a rês
a galinha o porco o novilho
mas joga filho fora  o bichumano

*

sábado, 20 de outubro de 2007

asas

líria porto

gaiolas abertas
com água fresca e alpiste
deixarão entrar os pássaros
poderão ficar partir
sentir-se-ão à vontade
terão sempre bom abrigo
lugar de descanso e paz

amor não é cárcere

*

lili cata ventos

líria porto

quintaninha feiticeiro
passarinho em tuas asas
passarão outros poetas
sem bicar a minha alma

*

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

os girassóis de van gogh

líria porto

insolúveis em lágrimas
as flores de vincent
:
olhos amargos
pálpebras desfolhadas
cílios de dor

*

dilúvio

líria porto

quis ver a chuva chover
lavar a alma do mundo
daqui levar toda lama
pecados culpas infâmias
e brotar um novo
                           homem

*

pios da coruja

líria porto

a vida é chama de vela
ao leve sopro
jaz o corpo

*

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

regina

líria porto

não chores meu bem não chores
mamãe está aqui és linda
vou contar-te uma história
teu nome tão bonito quer dizer
rainha

não quero ser rainha
quero ser princesa

(e ela é)

*

balelas

líria porto

há felicidade
nas coisas pequenas
ao alcance dos dedos
ou nas estrelas?

*

terça-feira, 16 de outubro de 2007

segunda chance

líria porto

quanto gozo regozijo
euforia emoção
quando um corpo sofrido
encontra-se noutro indivíduo
e num leito de harmonia
revive prazeres que um dia
julgara extintos

*

terça-feira, 9 de outubro de 2007

pensando alto

líria porto

o amor não é vendido no mercado
em feiras-livres nem é distribuído
como amostra grátis

não se acha amor em qualquer parte

*

nojentas

líria porto

baratas resistem ao tempo aos inseticidas
mas o velho chinelo não lhes dá trégua
:
plaaaft!

*

segunda-feira, 8 de outubro de 2007

alma penada

líria porto

desfaz-se
nem a reconheço
tal qual jornal molhado
sem letras e sem
notícias

*

reencontro

líria porto

queria te ver
olhar-te nos olhos
quieta demoradamente
depois te abraçar
sem uma palavra
deixar que soubesses
o quanto te prezo
e nada te peço
além deste momento

*

domingo, 7 de outubro de 2007

indigesto

líria porto

o homem de cara azeda
garanto que destempera
a moça dos gestos doces
que um dia será amarga
a pisar terra salgada
a engolir dissabores

*

claudel

líria porto

disseram-lhe – pedras não amam
as pedras são insensíveis
o fato é que um dia
uma artista amou a pedra
e não foi correspondida

injetou amor à pedra
imprimiu-lhe o seu espírito
a pedra transfigurou-se
transmudou-se e suplicante
submeteu-se à agonia

(camille enlouqueceu)

*

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

phoenix

líria porto

ácida cáustica caótica
descamo-me descarno-me
desagrego-me para me redimir
e ressurgir das cinzas

*

purificação

líria porto

há dias de não ir
de não voltar
de se estar no limbo
esquecer as mágoas
curar as feridas
consertar os erros
reconhecer os defeitos
:
dormir na salmoura

*

receios

líria porto

passarinho não espies
para as bandas do meu leito
acostumei-me sozinha
e se demonstras desejo
pões bico doce em meu ninho
teu corpo quente juntinho
desperta minhas querências

depois te arribas
como fico?

*

bon-vivant

líria porto

o smoking da festa
a gaudia alegria
com ela o enterrem
ao chegar o dia

são pedro abre a porta
ele entra elegante
esquece no ato
deslizes orgias

pecado não tem
não sabe o que seja
viveu plenamente
em uísque e cerveja

*

terça-feira, 2 de outubro de 2007

lagarta

líria porto

ao sair do casulo tortura-se
não se dá conta da cores que carrega

esbarro em palavras na rima na métrica
impõe-se-me a poesia como tatuagem

*

reconstituição

líria porto

quando passo ida e volta
e penso sobre meus hábitos
teus pensamentos escassos
não compreendem minha sorte
não sabem que reaprendo
pois ao rever velhos atos
amorteço novos erros

*

relacionamentos

líria porto

como arrancar da pele
o suor de outro corpo
penetrado em nossos poros
perdido nos labirintos
a circular-nos nas veias
a encharcar-nos a alma
infiltrado nos rochedos
da resistência?

esse cheiro penetrante
removê-lo leva tempo
não se apaga as lembranças
com água e sabão

*

haicai

líria porto

o canto dos grilos
nas folhas do limoeiro
gotas de sereno

*

haicai

líria porto

madrugada fria
os caquis amadurecem
nas pontas das galhas

*

haicai

líria porto

gotas de sereno
nas galhas da laranjeira
grinaldas de pérolas

*

haicai

liria porto

cascas na lixeira
em caixas de papelão
caquis e cerejas

*

haicai

líria porto

madrugada fria
gotículas de sereno
no dorso da pétala

*

haicai

líria porto

final de estação
as mangas amadurecem
em pequenas caixas

*

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

passageiro

líria porto

dentro em pouco o vento
leva-e-traz do tempo
vai e volta embola
vem outro momento

nada é eterno

*

buracos

líria porto

na cama
a chocar ideias
calculava coisas
do arco-da-velha

pensamentos doidos
emoções homéricas
desrazões desdouros
e cartões de crédito

*

dique

líria porto

esse teu jeito de dizer as coisas
esconde um rio de lamentações
:
e não sobra pedra
sobre pedra

*

dedicatória

nus descampados (im)puros
fiamos o plenilúnio

(líria porto)



*















quem tem pena de passarinho
é passarinho

(líria porto)

Arquivo do blog